Qual é a agenda do Brasil?

por Luiz Paulo Vellozo Lucas

Curto e longo prazos

O Brasil tem uma agenda de curto prazo, fundamentalmente centrada no ajuste econômico e fiscal no país, necessidade criada pela desorganização causada pelas políticas lulo-dilmistas desde o segundo mandato do presidente Lula (2007-2010), e uma agenda de longo prazo, da qual o governo petista não tem a menor ideia do que seja.

Para eles o longo prazo se reduz a ficar no poder o máximo de tempo possível, se locupletando e distribuindo migalhas aos pobres, alguns benefícios à classe média e benesses aos amigos muito ricos.

O problema da agenda de curto prazo é que o governo Dilma não tem apoio político e social para operar o ajuste, não tem um mapa de viagem de onde quer chegar e não acredita nas medidas propostas pelos ministros Joaquim Levy (Fazenda) e Nelson Barbosa (Planejamento) e o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, colocados lá para salvar Dilma e Lula de si mesmos.

No longo prazo precisamos tratar de uma série de questões para o país. Essas questões devem ter por objetivo promover o desenvolvimento econômico sustentável do país. Aqui, um parentêses para evitar a demagogia lulo-petista, é importante destacar que o desenvolvimento é a condição necessária para podermos promover “pari passu” e na sequência (um momento duplo, enquanto o bolo cresce e depois que cresceu, para lembrarmos da expressão de Delfim Netto) condições de vida e desenvolvimento pessoal para os cidadãos do país.

A agenda do Brasil

Questões chaves para o desenvolvimento de longo prazo são, ao meu juízo, a educação; infraestrutura; tecnologia; estrutura tributária; previdência social; eficiência e gasto do setor público; capacidade de poupança; mercado de trabalho; abertura da economia ao comércio internacional; competição, desenvolvimento de negócios e empreendedorismo e transparência institucional e incerteza jurídica.

Sobre isso, infelizmente, o governo nada tem à dizer à sociedade brasileira. Só platitudes ou remendos. Enquanto isso, o país vai perdendo oportunidade histórica de desenvolvimento e enfrentando grave crise econômica, política e social.

Precisamos de um arranjo político institucional que tenha capacidade, interesse e competência para levar esse projeto de desenvolvimento adiante, nesse governo, temos certeza, isso não irá acontecer.

Luiz Paulo Vellozo Lucas

Luiz Paulo Vellozo Lucas

Capixaba, 58 anos, pai do André, Laura e Rafael – e avô do Dante.
Engenheiro de produção formado pela UFRJ, pós-graduado em desenvolvimento econômico (BNDES) e economia industrial (UFRJ).
Funcionário do BNDES desde 1980, professor da PUC-RJ e da FDV e atualmente sou presidente do Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo (Bandes).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>