Por que as nações fracassam: as origens do poder, da prosperidade e da pobreza (resenha)

Este é um livro seminal. Os autores, na esteira da crise econômica mundial de 2008, reinventaram a economia política clássica.

São institucionalistas, destacando, assim, o papel das instituições como central para o sucesso ou fracasso dos países. Defendem as instituições econômicas inclusivas, aquelas que possibilitam a disseminação de riqueza pela sociedade, ao contrário das extrativistas, que concentram renda; junto a isso destacam que só a construção de instituições políticas inclusivas permitem o desenvolvimento das instituições econômicas inclusivas. No seu livro apresentam uma síntese da crise, as fragilidades das sociedades e suas economias e as soluções para tal.

Como não poderia deixar de ser, apontam as principais falhas que ocasionaram a crise de 2008. Foram elas que permitiram a “bolha” especulativa e também elas – no caso os bancos centrais mais importantes do mundo – que salvaram o sistema econômico-financeiro internacional de uma corrida desenfreada e da bancarrota, na sequência da falência do banco Lehman Brothers.

Importante, também, destacar que os autores defedem a ideia de que as bases para o desenvolvimento econômico são: a tecnologia, a educação e a estabilidade política, pois as mesmas são atributos que são sustentados por inovação, liberdade de expressão e livre circulação de ideias e informações.

Seu modelo de análise tem se espalhado no âmbito de análise das ciências sociais em todo o mundo. Aqui no Brasil, podemos destacar o conhecido economista Marcos Lisboa.

Uma aula de história, de economia, de sociologia, de ciência política da humanidade, concentrados em um só livro. Para esse livro vale a afirmação do filósofo Francis Bacon de que “há livros de que apenas é preciso provar, outros que têm de se devorar, outros, enfim, mas são poucos, que se tornam indispensáveis, por assim dizer, mastigar e digerir”.

Por fim, para aqueles que pensam que a defesa das instituições e de seu fortalecimento é algo definitivamente consolidado em nosso país vale a leitura do ensaio do professor Bolivar Lamounier, no livro Difícil Democracia, intitulado Tendências anti-institucionais no Brasil pós-transição: populistas, “picaretas” e carbonários, onde o mesmo demonstra como essas tendências estão ainda presentes e atuantes na sociedade brasileira e como elas têm tensões e incompatibilidades com a teoria e a prática liberal-democrática.

Por que as nações fracassam: as origens do poder, da prosperidade e da pobreza

Livro de Daron Acemoglu e James Robinson – Editora Campus

Vale ler as entrevistas de ambos nas páginas amarelas da Revista Veja.
Acesse pelo acervo digital da revista – Veja aqui
Daron Acemoglu – Páginas amarelas da Veja – 9 de junho de 2010 – Edição 2.168
James Robinson – Páginas amarelas da Veja – 16 de julho de 2014 – Edição 2.382

Mais sobre os autores:

Página de Daron Acemoglu – Veja aqui

Página de James Robinson – Veja aqui

TEDxAcademy com James Robinson – Veja aqui (em inglês) ou aqui abaixo:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>