Mais um ranking, mais uma posição decepcionante, podemos, no entanto, crescer com a educação

Segundo o site do jornal Valor Econômico, o Brasil ficou na 60ª posição entre 76 países avaliados, num ranking que ordenou os países com base em testes de matemática e ciências. Este dado é resultado de um estudo da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), a ser divulgado no próximo Fórum Mundial de Educação, que acontecerá na próxima semana na Coreia do Sul.

Mais um ranking, mais uma posição decepcionante, podemos, no entanto, crescer com a educação.

O que procuro reiterar, e que podemos extrair de mais esse indicador, é que se investirmos efetivamente na qualidade da educação de jovens de idade até 15 anos poderemos ter um expressivo crescimento econômico, conforme destaca o diretor educacional da OCDE, Andreas Schleicher. Para ele, “Esta é a primeira vez que temos uma escala verdadeiramente global sobre a qualidade da educação. A ideia é dar a mais países, ricos e pobres, a possibilidade de comparar a si mesmos com os líderes mundiais em educação para descobrir seus pontos fracos e fortes, e ver os ganhos econômicos a longo prazo gerados pela melhoria da qualidade da educação”.

Segundo destaca o site G1, para a OCDE “o baixo nível da educação em um país pode resultar num ‘estado permanente de recessão’.

É por essas e tantas outras evidências que, como em nosso post do dia 06/maio, este Blog continuará a destacar o papel fundamental da educação de qualidade para o desenvolvimento humano, social e econômico de nosso país.

This Post Has One Comment

  1. Ely Roberto de Moura

    Precisamos e muito fazer mudanças na objetividade de um modelo de educação em
    nosso país , para que possamos melhorar a qualidade de vida de nosso povo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>