Governo de qualidade: boa técnica e boa política

Bons governos precisam de boa técnica combinada com boa política.

Conhecimento organizado, métodos de gestão modernos, informações atualizadas e constantemente analisadas e melhores práticas em todas as áreas são muito importantes.

A boa política é a ferramenta principal da construção do interesse comum. Mas a boa política precisa também das ferramentas da boa técnica na construção de uma gestão pública resolutiva e efetiva.

É temerário confiar em situações extremas, tais como: políticos que nutrem desprezo pelo conhecimento organizado, que cultuam uma espécie de pensamento mágico que os livra de decisões difíceis e dos trade-offs* inevitáveis de suas escolhas, que se orgulham do próprio despreparo e exaltam a excelência da sua intuição política.

Por sua vez, também são nocivos, os técnicos de sólida formação acadêmica que são despreparados para o diálogo e para o trabalho de convencimento, que desdenham da ignorância do mundo real da política onde as decisões são tomadas. Do alto da sua arrogância tecnocrática adoram começar uma exposição declarando-se “não políticos”, como a se proteger das consequências das suas próprias opiniões, caso venham a ser colocadas em prática.

A gestão pública será sempre um trabalho politico que envolve ciência e arte. Uma regrinha de ouro para os gestores públicos é ter em mente os “pês” que moldam uma administração de sucesso: Prioridade, Parcimônia, Profissionalismo, Planejamento, Parceria e Participação.

Quando tudo é Prioridade, nada é. Quem quer atender a todos acaba não atendendo ninguém.

A Parcimônia ou austeridade é uma característica necessária para um gestão de sucesso.

O Profissionalismo, significa governar com os melhores.

O Planejamento representa a necessidade de estabelecer objetivos claros e traçar estratégias realistas para se obter o sucesso. É preciso saber onde se está hoje e em que posição se quer chegar ao meio e ao final da gestão.

Parceria e Participação, são elementos que caminham juntos. Os problemas de responsabilidade do Estado são cada vez mais complexos, crescentes e incontáveis impedindo que sozinha, a administração pública, não logre êxito. A maioria das soluções desses problemas (educação, saúde, segurança, saneamento, mobilidade urbana etc) exigem um trabalho integrado, envolvendo as várias esferas de governo (federal, estadual, municipal), os poderes legislativo e judiciário, o ministério público, o tribunal de contas, sociedade civil organizada, o setor empresarial e o cidadão. A boa política aliada a boa técnica significa fortalecer nossa jovem democracia.

Sem amadorismo, messianismos e mágicas, a gente chega lá!

*Trade-off: Escolhas mutuamente exclusivas, decisões entre alternativas, ou isso ou aquilo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>