Educação, educação e mais educação

por Luiz Paulo Vellozo Lucas

o THE

Semana passada foi divulgado o resultado do Times Higher Education (THE), que analisa o ensino superior no mundo inteiro. No ranking foram listadas 800 instituições universitárias e o Brasil ficou com 17 instituições listadas, 2,125%.

Entre as 400 primeiras temos apenas duas Universidades: USP e Unicamp. Depois, somente a partir da posição 501 que temos as outras quinze instituições.

Como destaca a matéria do site G1 que fala da publicação do Índice THE, para a sua composição “O ranking avalia o desempenho dos estudantes e a produção acadêmica nas áreas de engenharia e tecnologia, artes e humanidades, ciências da vida, saúde, física e ciências sociais. Considera ainda pesquisa, transferência de conhecimento e perspectiva internacional, além do ambiente de ensino”. Ou seja, estamos mal.

Como destaca Phil Baty, editor da revista THE, “ao contrário de China e Rússia, o governo brasileiro não tem nenhuma visão nacional ensino superior destinada a melhorar o setor de pesquisa na universidade”. Difícil chegar, assim, a algum lugar.

Quando combinamos essa tipo de informação-análise com o fato de que também não temos estratégia para os ensinos fundamental e médio em nosso país, a percepção do problema agrava-se ainda mais.

Como avançar rumo ao desenvolvimento e à prosperidade sem educação? Como esperar que possamos garantir qualidade de vida e acesso à melhor renda sem educação? Como pensar em competir no ambiente global sem educação? Como aumentar a produtividade do trabalho sem educação?

Sem perceber, como podemos ver pelo THE, que a pesquisa científica faz parte do processo de desenvolvimento do país, com certeza não chegaremos a lugar algum. Sem garantir que a pesquisa é parte fundamental do próprio processo de ensino também não avançaremos. Este é mais um legado desses 13 anos de governo lulo-dilmo-petista.

Se queremos promover o desenvolvimento do Brasil, melhorar a qualidade de vida da sociedade e permitir um maior e crescente grau de autogoverno e participação dos cidadãos no governo a educação é um caminho essencial.

Luiz Paulo Vellozo Lucas

Luiz Paulo Vellozo Lucas

Capixaba, 58 anos, pai do André, Laura e Rafael – e avô do Dante.
Engenheiro de produção formado pela UFRJ, pós-graduado em desenvolvimento econômico (BNDES) e economia industrial (UFRJ).
Funcionário do BNDES desde 1980, professor da PUC-RJ e da FDV e atualmente sou presidente do Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo (Bandes).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>