A Grande Vitória é minha cidade

Aconteceu comigo, mais uma vez, na semana passada em Brasília. Um jovem de terno me abordou num restaurante, reconheceu-me como ex-prefeito de Vitória, apresentou-se e disse simpaticamente: “Também já morei em Vitória quando trabalhava na Vale. É uma cidade espetacular!”. Depois de explicar minhas razões para não disputar as eleições de 2016 perguntei onde meu novo amigo morou em Vitória. “Em Manguinhos”, disse ele.

O jogo do Flamengo será no estádio Kleber Andrade em Cariacica na Grande Vitória e a Vitória Stone Fair no pavilhão de exposições de Carapina , na Serra, Grande Vitória. Em Manguinhos, Serra e na Barra do Jucú, Vila Velha , na Grande Vitória, temos um grande carnaval de rua com blocos populares. Em Viana, na Grande Vitória tem uma cervejaria artesanal espetacular.

Imediatamente depois de apurados os votos neste segundo turno, todos os lideres políticos da Grande Vitória, ganhadores e perdedores, deveriam unir-se para um trabalho em conjunto com a Assembleia Legislativa e o Governo do Estado, que é urgente, suprapartidário e reclamado há pelo menos trinta anos. Implantar um sistema de governança compartilhada na Região Metropolitana da Grande Vitória.

O planejamento urbano, uso e ocupação do solo, atribuição dos municípios não pode mais ser feito de forma independente por cada municipalidade na região metropolitana. O transporte coletivo metropolitano, o TRANSCOL, o serviço de água e esgoto, a CESAN, a segurança pública, as polícias e a justiça, não podem mais ser administrados pelo governo estadual sem a participação dos municípios. A cooperação administrativa e as parcerias em obras estruturantes não podem ser condicionadas a projetos políticos de partidos ou lideranças.

O Estatuto da Metrópole é uma lei federal recente (2015) que dá diretrizes precisas para este novo desenho institucional e também estabelece prazos para que seja implantada, inclusive com previsão de penalidades para os governos estaduais e prefeituras que não os cumprirem.

A crise fiscal do Brasil se reproduz nos níveis subnacionais, estados e municípios, com cores ainda mais berrantes. Reinventar o Estado, reduzir custos e burocracia, despolitizar e profissionalizar a gestão da máquina pública, aumentar a eficiência dos serviços e investir com prioridades claras e com continuidade. Banir a demagogia e o clientelismo, pois, só assim, o setor público ganha respeito e força moral na sociedade. É esta a nossa agenda.

A Grande Vitória é nossa capital e a minha cidade.

Luiz Paulo Vellozo Lucas é ex-prefeito de Vitória.

This Post Has One Comment

Deixe uma resposta para SERGIO BAPTISTA DA FONSECA Cancel comment reply

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>