A analista do Santander e o pós-eleição de 2014

por Luiz Paulo Vellozo Lucas

Ela estava certa!

Como lembrou bem, em seu Blog do UOL, o jornalista Josias de Souza, no último sábado, dia 25 de julho, completou-se um ano em que veio à tona uma pequena análise da analista de mercado do Banco Santander, Sinara Polycarpo Figueiredo, que tratava das perspectivas econômicas do Brasil caso se confirmasse, como infelizmente aconteceu, a vitória da presidente Dilma Rousseff.

No texto curto apresentava-se as linhas gerais da economia brasileira naquele momento com “[…] baixo crescimento, inflação alta e déficit em conta corrente […]” e diagnosticava que caso Dilma voltasse a subir nas pesquisas, e ganhasse, portanto, as eleições “[…] o câmbio voltaria a se desvalorizar, juros longos retomariam alta e o índice BOVESPA cairia […]”.

Lula, Dilma e o Partido dos Trabalhadores (PT) ficaram enfurecidos. O ex-presidente afirmou que Sinara “não entendia porra nenhuma de Brasil […]”, a presidente reclamou de “interferência de qualquer integrante do sistema financeiro, de forma institucional, na atividade eleitoral e política”. Todos juntos pediram a cabeça da moça na bandeja da execração pública. Conseguiram e Sinara e outros três funcionários foram demitidos.

Como podemos ver hoje, a análise de Sinara Figueiredo e sua equipe estava correta e, na verdade, era bastante moderada. A situação é tremendamente pior do que o previsto.

Sinara, por óbvio, não tem bola de cristal. Estava apenas e tão somente, como qualquer brasileiro medianamente informado, analisando os desdobramentos da situação que se desenrolava no país graças ao desastre que estava sendo construído pelo eleitoralismo irresponsável e incompetente da Nova Matriz Econômica.

Se fossem pessoas e instituição com alguma honra, o ex-presidente Lula, a presidente Dilma e o presidente do PT, Rui Falcão, deveriam, de público, pedir desculpas à analista do Santander e recomendar ao presidente do banco que Sinara Figueiredo fosse readmitida. Como não são e vivem de mentiras e enrolação o fato fica apenas para se constatar que a politicagem lulo-dilmista pode, além de colocar o país em crise, colocar as vidas indivíduos específicos em risco se contradizem os interesses desses poderosos. Mais uma vergonha para o anedotário político nacional.

Luiz Paulo Vellozo Lucas

Luiz Paulo Vellozo Lucas

Capixaba, 58 anos, pai do André, Laura e Rafael – e avô do Dante.
Engenheiro de produção formado pela UFRJ, pós-graduado em desenvolvimento econômico (BNDES) e economia industrial (UFRJ).
Funcionário do BNDES desde 1980, professor da PUC-RJ e da FDV e atualmente sou presidente do Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo (Bandes).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>